George Orwell – o “socialista”

Desde ontem que faço parte daquela pequena minoria que diz que leu o “1984” e que realmente leu o “1984”. Não contente com isso, hoje acabei de ler o “Animal Farm”. Queria ter a ideia correcta sobre estes dois livros que tantos gostam de citar, e que para muitos (p.e. estes) são autenticas biblias que recorrem para atacar o Socialismo.

Embora sempre tivesse tido curiosidade por estes dois livros (afinal são duas obras primas), a verdade é que fui sempre adiando. No entanto dois factos ocorreram que me levaram a ler estes livros.

O primeiro foi o estudo que indicava que o “1984” era o livro que mais pessoas diziam que tinham lido, mas que na verdade não o tinham feito. Isto fez-me desconfiar de que, se calhar todas as referências que alguns faziam estavam erradas. O segundo facto que na primeira vez que comecei a comentar n’Oinsurgente, levei logo com aquela resposta tipica de “vai ler Orwell para veres o que é o socialismo” (não é uma citação, mas uma tradução própria).

Ora até agora, e sempre que faziam referência a este autor, apresentavam o Orwell como um anti-socialista, um profundo defensor do sistema capitalista de tendência neo-clássicas. Então quis ler e ver se o que diziam correspondia à verdade.

Ora logo no “1984” tive a noção de que a imagem de Orwell não era bem o “anti-socialista” que pintavam. As referências que ele fazia ao inicio da “revolução” e o ataque que existia à sociedade hierarquizada deixavam-me a impressão que ele não era anti-socialista, e que até tinha simpatia com a ideologia socialista. “Deve ser preconceito meu” pensei eu. Honestamente pensei que tal noção aparecia mais da minha forma de pensar do que realmente correspondesse à realidade.

Assim comecei a ler o “Animal farm”, e nos primeiros capítulos, tive a certeza que afinal a minha impressão correspondia à realidade e que Orwell não era anti-socialista, mas sim, contra os regimes ditatoriais comunistas que existiam na altura. E que estes dois livros (muito mais o “Animal farm” que o “1984” era uma forma de atacar directamente os movimentos ditatoriais que se intitulavam “socialista” e expô-los pelos que eles eram: simples regimes ditatoriais em tudo semelhantes à sociedade capitalista hierarquizada vigente e dessa forma contrários aos objectivos socialistas).

Dito isto, o meu conselho a todos os proclamados “liberais”, que são no fundo apenas anti-socialistas, é que deixem de citar o George Orwell pois apenas demonstra a vossa mais total ignorância sobre este autor.

Finalmente, gostava de dizer que em minha opinião, ele não era anti-liberal. Julgo que, e reforço que é minha opinião, que George Orwell acreditava que o Socialismo era compatível com uma sociedade de base liberal, e no fundo era um percursor da ideologia social-democrata ou liberal-social que existe actualmente.

E já agora, se não acreditam na minha palavra sobre a intenção de George Orwell quando escreveu o “Animal Farm” deixo aqui a sua intenção, nas suas próprias palavras:

“Indeed, in my opinion, nothing has contributed so much to the corruption of the original idea of Socialism as the belief that Russia is a Socialist country and that every act of its rulers must be excused, if not imitated.

And so for the past ten years I have been convinced that the destruction of the Soviet myth was essential if we wanted a revival of the Socialist movement.

On my return from Spain I thought of exposing the Soviet myth in a story that could be easily understood by almost anyone and which could be easily translated into other languages.”
George Orwell

16 comentários:

Ricardo Ferreira disse...

Ora aí está um excelente post.

Eu já perdi a paciência em comentar no Insurgente, por isso fico-me pela simples leitura, a maior parte das vezes na diagonal.

Anônimo disse...

Obrigado pelas palavras!

Bem, eu ainda só comento à cerca de um mês por isso ainda tenho alguma paciencia para esgotar :) (minha e a deles)

Stran

ml disse...

Stran, o Orwell é daqueles autores que foi apadrinhado pela esquerda e pela direita, o que é patético. Mas para falar de Orwell ninguém melhor do que Orwell. E nem falo nas alegorias da ficção, porque aí ele é claro mas não explícito, mas nos ensaios e artigos avulsos, que são imensos.

E que diz ele?
- numa primeira fase, que se considera socialista revolucionário e nessa qualidade combateu na guerra civil de Espanha (‘Homenagem à Catalunha’);
- que considera o PCUS e associados partidos reaccionários, anti-socialistas e anti-revolucionários (‘Homenagem à Catalunha’);
- que socialismo e comunismo se opõem. Para ele, a dicotomia é entre socialismo democrático e totalitarismo;
- que o fascismo é uma forma de capitalismo;
- que o sistema capitalista não serve, é ineficiente, só o socialismo será capaz de resolver as necessidades básicas e de estabelecer o equilíbrio entre produção e consumo:

http://www.k-1.com/Orwell/site/work/essays/lionunicorn.html

- que as sociedades tecnológicas, sejam elas totalitárias ou liberais, poderão vir a controlar os cidadãos nos ínfimos pormenores:

STATEMENT ON 'NINETEEN EIGHTY-FOUR'
It has been suggested by some of the reviewers of NINETEEN EIGHTY-FOUR that it is the author's view that this, or something like this, is what will happen inside the next forty years in the Western world. This is not correct. I think that, allowing for the book being after all a parody, something like NINETEEN EIGHTY-FOUR could happen. This is the direction in which the world is going at the present time, and the trend lies deep in the political, social and economic foundations of the contemporary world situation.
Specifically, the danger lies in the structure imposed on Socialist and on Liberal capitalist communities, by the necessity to prepare for total war with the U.S.S.R. and the new weapons, of which - of course - the atom bomb is the most powerful, and the most publicized.
But danger lies also in the acceptance of a totalitarian outlook, by intellectuals of all colours.
The moral to be drawn from this dangerous nightmare situation is a simple one : Don't let it happen. It depends on you.
(George Orwell)

Etc. Há muito para dizer, é um mundo que não se limita ao ‘Animal Farm’ ou ao ‘1984’ e que contradiz frontalmente as atoardas do nosso amiguinho, que se limita às 'quotations' mais banalizadas e fora de contexto. O modo como se serve do nome de Orwell tem a ver com o primarismo com que analisa o planeta. Como só conhece os dois tons que aplica a todas as situações, quem não cabe num só pode estar no outro.
É um espectáculo, ele é que não acredita. :)))

Stran disse...

Bem, antes demais excelente comentário.

Para mim é interessante descobrir um "novo" Orwell. Este é daqueles autores que de tão famosos eu não tinha tido ainda muito interesse em conhecer e assim criei uma imagem completamente diferente da realidade.

Passou a ser um dos meus autores favoritos. Aliás li 2/3 do 1984 num dia e o Animal Farm no outro.

Julgo que tanto num como noutro ele é perfeito a escrever a história, se no Animal Farm me supreendeu pela simplicidade como conseguiu em 100 páginas explicar algo que os "intelectuais" demorariam decadas a explicar. Já no 1984 admirei-me pela profundidade do universo que ele cria (que vai muito além das citações batidas) e da historia humana em si do livro.

"e que contradiz frontalmente as atoardas do nosso amiguinho"

Eu diria à jeito do Big Brother, se o nosso amigo diz que é assim então sempre foi assim.

"O modo como se serve do nome de Orwell tem a ver com o primarismo com que analisa o planeta. Como só conhece os dois tons que aplica a todas as situações, quem não cabe num só pode estar no outro.
É um espectáculo, ele é que não acredita."

Tenho de confessar que pensei nele quando acabei de ler o livro. Será que ele leu os livros?
Julgo que ele é sem duvida um caso tipico do "doublethink" descrito no 1984. Aliás se reparares bem ele encaixa que nem uma luva na caracterização que Orwell faz das pessoas ortodoxas do partido...

Carol disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carol disse...

Tendo lido as duas obras, como li de fato, posso concordar quando você alude ao fato de Orwell ter raizes socialistas. O autor mesmo se considerou pertencente a esta ideologia por vários anos. O que concluo de seus livros, porém, é a frustração com o homem em si, não com um sistema político-econômico. Não creio ser ignorância das mentes de direita mencionarem Orwell em seus discursos pró-capitalismo, visto que ele modificou sua forma de pensar quando analisando empiricamente o sistema socialista. Um mundo onde todos sejamos iguais é utópico, pois "para organizar os brinquedos sempre tem uma criança autoritária", ou seja, alguém teria de fazer o papel de Big Brother e consequentemente esta hierarquia controladora viola os próprios princípios de igualdade. O discurso socialista é composto de inúmeros vocábulos e expressões complexas onde nem mesmo seus adeptos tem grande compreensão, facilitando essa manipulação intelectual que se faz presente na sociedade atual.

Anônimo disse...

Your blog keeps getting better and better! Your older articles are not as good as newer ones you have a lot more creativity and originality now keep it up!

Leonardo disse...

Dito isto, o meu conselho a todos os proclamados “liberais”, que são no fundo apenas anti-socialistas, é que deixem de citar o George Orwell pois apenas demonstra a vossa mais total ignorância sobre este autor.


Conde-Não há ignorância alguma. O fato em si é que Orwell, ainda que nutra simpatias frustradas pelo socialismo, ele revela, na prática, onde o sistema socialista o leva: á tirania do Estado sobre o indivíduo.


Finalmente, gostava de dizer que em minha opinião, ele não era anti-liberal. Julgo que, e reforço que é minha opinião, que George Orwell acreditava que o Socialismo era compatível com uma sociedade de base liberal, e no fundo era um percursor da ideologia social-democrata ou liberal-social que existe actualmente.


Conde-Na verdade, Orwell morreu cedo demaios para se definir ideologicamente. Ele até que tentou acreditar na história mitológica da "revolução traída", inventada por Trotsky. Mas ele mesmo reconhecia os perigos do totalitarismo no socialismo e, no final da vida dele, mostrava muito mais incertezas do que afirmações a respeito da causa socialista que defendia. Será que o cidadão que escreveu esse artigo sabe que o Sr. Orwell escreveu um prefácio do livro "O Caminho da Servidão", de Friederich von Hayek, um liberal da velha escola clássica, reconhecendo os perigos do socialismo e do coletivismo? Orwell foi um socialista frustrado, cético com relação à causa. E morreu com essa dúvida.

Leonardo disse...

"in the negative part of Professor Hayek's thesis there is a great deal of truth. It cannot be said too often — at any rate, it is not being said nearly often enough — that collectivism is not inherently democratic, but, on the contrary, gives to a tyrannical minority such powers as the Spanish Inquisitors never dreamt of". Yet he also warned, "[A] return to 'free' competition means for the great mass of people a tyranny probably worse, because more irresponsible, than that of the state.

Leonardo disse...

ulgo que, e reforço que é minha opinião, que George Orwell acreditava que o Socialismo era compatível com uma sociedade de base liberal, e no fundo era um percursor da ideologia social-democrata ou liberal-social que existe actualmente.

Conde-É uma ingenuidade tremenda acreditar que as "bases" liberais podem se preservar no controle total do Estado sobre a propriedade. A sociedade civil livre ´so existe, basicamente, se houver o direito de propriedade. Se o Estado é dono de tudo, quem será contra o Estado? Se a sociedade obedece a planejamentos centrais, onde estará a liberdade econômica e civil para contrapor à vontade estatal? George Orwell pecou feio nesses detalhes. Mas ele não foi o único. Havia desinformação e mentiras demais para saber o quanto o sistema socialista era criminoso e essencialmente totalitário na sua raiz.

Stran disse...

Leonardo,

Antes demais benvindo ao blog e muito obrigado pelos comentários.

Relativamente a Orwel ter morrido com essa dúvida só me faz acreditar que de certo era muito sábio. Honestamente eu valorizo muito as pessoas que duvidam pois significa que poem em causa as suas próprias convicções. Actividade que nos ultimos tempos tem tido um decrescimo de adeptos.

"...onde o sistema socialista o leva: á tirania do Estado sobre o indivíduo."
Não tenho tanta essa certeza. Julgo que depende muito das pessoas e dos valores que as mesmas defendem. Mais à frente por exemplo argumento com a questão de uma economia com planeamento central e no entanto actualmente já existem doutrinas no comunismo que não se baseam nessa relação centralizada com a economia.

"...que George Orwell acreditava que o Socialismo era compatível com uma sociedade de base liberal, e no fundo era um percursor da ideologia social-democrata ou liberal-social que existe actualmente."

Concordo totalmente. Tenho pena apenas é que nos tempos que correm essa mensagem não seja mais "difundida" o que me parece uma tremenda injustiça para com o autor...

marcos machado disse...

Prezados,

George Orwell sempre teve apreco pelas ideias socialistas. Nao entendo cade a novidade nisso? Convem ler sobre sua biografia.

No entanto, ao transpor para a literatura sua experiencia, acabou-se mostrando - apesar da intencao oposta - a afronta contra a liberdade que eh o socialismo

abracos

Cherie disse...

Fantastic!

Anônimo disse...

Leonardo: "return to 'free' competition means for the great mass of people a tyranny probably worse, because more irresponsible, than that of the state". Nesse trecho Orwell diz tudo sobre o "livre" mercado.

Vanessa Costa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vanessa Costa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.