Post politicamente incorrecto: Natalidade

Surgiu uma conversa muito interessante entre o blogue do MLS e o André Escórcio do "Passaros sem Nariz" sobre a temática da natalidade e o que fazer para aumentar a taxa de natalidade.
Este artigo não é tanto por causa de medidas, mas mais por causa da abordagem a este tema. Eu vou contar um segredo, que estranhamente tem o habito de ser polémico:
- Eu não quero ter filhos!
Eu sei, lá se foi 90% de oportunidade de estar numa relação duradoura...
Tem sido uma experiência interessante afirmar isto publicamente, pois sei o que é dizer algo verdadeiramente politicamente incorrecto. E não devem imaginar a pressão que existe, e que fica visível quando digo esta frase, para uma pessoa ter um filho. Desde o pasmo mais sincero até ao olhar mais ameaçador, existe um pouco de tudo.
É nessas alturas que sei na pele o que é ser um outsider, mas é a minha opção e tenho de viver com a mesma. Agora o que peço é que não transformem a questão da natalidade num designio nacional!
É que se já dificil viver tendo esta opção, se continuarem a insistir nesta tónica qualquer dia sou linchado vivo!!!

5 comentários:

ml disse...

Quer dizer que não vais aproveitar os 200 euros do Sócrates!

Pois é, essa postura provoca sempre arrepanhos. Nunca foi pacífico, mas agora parece que piorou. Ou é porque somos um país a caminhar para velho, ou é porque não há quem pague no futuro a segurança social, ou é porque temos imigrantes a mais.
Dantes era mais simples, os pais queriam ser avós e ponto final. Agora pia mais fino.

Stran disse...

Quase que ponderei mudar os meus objectivos por esses 200 Eur, mas depois repensei e embora saiba que perco uma fortuna decidi viver a vida como eu queria.

Gosto muito da ideia de que temos muitos imigrantes quando temos "em teoria" falta de mão de obra.

Se isto continua ainda sou preso pela "thought police" cá do sitio.

Filipe M R disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Filipe M R disse...

Estimular natalidade e condicionar liberdades individuais são coisas distintas, apesar de estarem ligadas. Se o estado gastar em politicas de estimulaçao da natalidade, não gasta noutras, mas só se pode recusar este corte à liberdade individual, ou só se deve, em nome duma coerencia que eu até valorizo pouco, se formos liberais puros que recusamos a intervençao do estado em qualquer área. Podemos discutir já que temos preocupaçoes sociais diferentes onde o estado deve gasta o nosso dinheiro e se gastar de forma a que todos nós possamos viver um pouco mais desafogados então se calhar até estaremos mais virados para fazer filhos, visto estarmos mais livres para fazermos o que nos der na gana e ninguém ficará com susceptibilidades feridas como tenho assistido!

Stran disse...

Oi Filipe,

Obrigado pelo comentário!

"se formos liberais puros que recusamos a intervençao do estado em qualquer área."

Julgo que um liberal não recusa a intervenção do Estado em qualquer area. Julgo que isso é um anarquista e julgo que um liberal não é anarquista (a não ser num extremo utópico).

"Podemos discutir já que temos preocupaçoes sociais diferentes onde o estado deve gasta o nosso dinheiro e se gastar de forma a que todos nós possamos viver um pouco mais desafogados..."

Julgo que é um visão que concordo. Principalmente porque neste sociedade o dinheiro está directamente relacionado com a nossa liberdade individual.

Quanto à questão da natalidade, ela está relacionada com liberdade individual apenas na nossa sociedade e se começar a existir agora uma forte campanha para aumentar a mesmo eu temo que a pressão que já existe aumente exponencialmente e possa viver num pesadelo big brotheriano!!!