Cansado de gente bonita...

Foi noutro dia, no meio de uma rua movimentada da nossa capital, que me apercebi do que me tem causado desconforto nos ultimos tempos. Não um desconforto forte e visível, antes um desconforto subtil e invisível.

À minha volta apenas se encontravam gente bonita, estranhamente bonita. Foi um choque olhar à minha volta e ver tudo perfeito. Toda a gente maquilhada, bem maquilhada, com os seus cabelos arranjados e dentes perfeitos e brancos. Vestidas perfeitamente, sem nenhuma roupa que não combinasse, que não fizesse parte de um todo. A minha volta só via perfeição e no entanto era essa perfeição que me feria. Tudo muito bem enquadrado, tudo demasiado bonito.

Ainda procurei uma imperfeição, algo que não fosse tão bonito, tão perfeitamente criado. Não encontrei.

Talvez há uns tempos atrás não teria escrito este post, mas honestamente cansei-me de gente bonita. Prefiro algo real...

7 comentários:

ejsantos disse...

Olá Stran.
Mas que grande pancada! Gostarias de viver no meio de orcs? :-)

Stran disse...

Oi!

LOL, não é isso. É só que às vezes parece que estou dentro do admirável mundo novo. Tudo tão perfeitinha e certinho, com muita yoga, muita dieta, muita depilação e penteados perfeitamente criados.

É só isso, cansei-me de tanta estética. Julgo que actualmente liga-se demasiado à imagem. O que até pode ser espectacular em termos visuais mas para se viver é demasiado monotono.

Mas sei que é um sentimento muito meu que não ligo muito à imagem...

ejsantos disse...

Ena Pá. Toma um pouco de soma. Ou em alternativa, bebe um bom "Monte Velho" ou um "Duas Quintas", tinto, que isso muda!

ml disse...

E isso compreende-se muito bem, Stran, não penses que és só tu. E não se trata apenas do mundo perfeitinho, trata-se da monotonia. A muita gente só a sensação de déjà vue, de que tudo está penteado, escovado e areado por igual é que dá segurança. O mundo em uniforme, por fora e por dentro.

A tropa sabe que a primeira etapa na despersonalização dos recrutas é rapar-lhes o cabelo e tirar-lhes os trapos individuais. Depois vesti-los com belas fardas ou apenas com um simples serviço interno é uma questão de mera funcionalidade.

Mas quanto ao teu post concretamente, hoje é quase impossível escapar a essa despersonalização quando as grandes cadeias do vestuário, da estética, da quinquilharia e até da palavra estão em todo o lado a cuidar de que ninguém escape. Nem que seja à conta de 'suaves prestações mensais'.

Stran disse...

Bem, EJSantos, julgo que neste momento já estou imune à soma e embora a tua outra alternativa seja agradável, não altera a realidade :)

Stran disse...

ML,

bem exemplarmente bem escrito. Acertaste na mouche. É mesmo como descreveste que sinto. E tenho de admitir que é bom saber que não sou só eu.

"suaves prestações mensais" que nos acabam por empurrar consciente ou inconscientemente para esse estilo de vida. Quanto às lojas é verdade, nunca tivemos tanta oferta e nunca foi tão "monocromática". Só me interrogo quando é que isto aconteceu?

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.