A doce angustia de um indeciso...

Sai de casa "com um brilhosinho nos olhos" mas angustiado por dentro. Desde as primeiras eleições nunca tinha estado assim sem saber em quem votar. Decidi olhar com cuidado à mnha volta e fazer um flashback ao mesmo tempo que faria um flashforward à espera que algo apaziguasse o meu espírito.

Eu sei que é um exagero, "afinal é apenas um voto" pensava eu para me acalmar. No entanto não surtia qualquer efeito. Afinal não é um acto qualquer aquele que ia fazer e eu sentia, mais do que em qualquer outra altura, a responsabilidade desse acto.

Passaram-se mais algumas musicas e com o aproximar do momento apaziguei o meu espirito e tomei uma decisão e votei. Não sei se fiz bem, mas fi-lo pela minha cabeça, pelos meus motivos e só a mim me posso responsabilizar caso tenha sido um erro.

Saí sorridente, para trás ficou a doce angustia de um indeciso. Uma angustia que tenho de agradecer às gerações que me precederam e que me permitiram ter hoje a liberdade de poder escolher, votar, acertar e errar.

Mas esta foi para mim umas eleições muito importantes pois são provavelmente as ultimas que eu terei esta indecisão. Uma vez mais graças a quem ajudou a implementar este regime democrático, posso fazer aquilo que julgo ser meu dever fazer: ajudar na construção de uma alternativa!

10 comentários:

ml disse...

Já está!

Eu sabia que seria sempre perdedora, se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.
Não queria que ganhasse o inginheiro, não queria que ganhasse a outra senhora.

Siga a Marinha para a Foz.

ml disse...

Conta! :)

Stran disse...

Yep e eu até estou contente! Tinha a mesma vontade que tu, mas como não havia melhor...

O que queres o que eu conte?

a) em quem votei?

b) ou o porquê do meu ultimo paragrafo?

Stran disse...

Ok, estava um pouco lento... presumo que seja a alternativa que queiras saber.

É muito simples, à uns tempos que acompanhava um movimento politico mas nunca tinha entrado - questões ideológicas. No entanto isso alterou-se no passado Maio e eu entrei. E estamos a trabalhar para montar um novo partido em Portugal.

Ideologicamente será dentro do liberalismo social, mas ainda é um work in progress...

Afinal não posso passar a minha vida a criticar e não fazer nada para mudar a nossa realidade, e julgo que embora em Portugal seja muito dificil começar algo de novo a verdade é que é a unica forma de começar algo sem demasiados vicios.

No entanto adiantei-te aqui pois não podia deixar de contar mas será exactamente o tema do próximo artigo.

ml disse...

Já sei de que se trata, e até previ de antemão que era isso, li alguns dos comentadores aqui.

Boa sorte! :)))

Stran disse...

:)

Boa capacidade de previsão! ;)

Muito Obrigado! E já sabes que estás mais que convidada a participar como bem entenderes! Seria uma enorme mais valia!

É um enorme desafio e principalmente uma enorme responsabilidade...

ejsantos disse...

Estas eleições foram horriveis para mim. Tinha que votar. Tinha. Mas em quem, se não confio em nenhum, mesmo nenhum politico?

ml disse...

E já sabes que estás mais que convidada a participar como bem entenderes! Seria uma enorme mais valia!

Sou eu que agradeço, stran, e não me esqueço disso.

Stran disse...

Oi EJSantos,

"Mas em quem, se não confio em nenhum, mesmo nenhum politico?"

Esse é o problema da politica actual. Ainda por cima quando a confiança é ponto fundamental para todo o sistema. Mas agora que já escrevi posso sempre dizer, se não confias então cria algo de novo... :)

Stran disse...

Sou eu que agradeço, stran, e não me esqueço disso.

Não tens nada de agradecer... Já sabes perfeitamente o que penso de ti...