Manifesto Anti-Movimentos Nacionalistas

Dediquei esta semana aos movimentos nacionalistas, mais concretamente aos movimentos de extrema-direita. Hoje explico pela primeira vez a minha posição relativamente a esta corrente ideológica.

1. Não confundo Nacionalismo com extrema direita, racistas, xenofóbicos ou criminosos. Na minha óptica são visões diferentes.

2. Dito isto, pelo que li em vários blogs, muitos nacionalistas, ou que se auto-intitulam nacionalistas, não só confundem estas noções como misturam-se com os mesmos.

3. A utilização da palavra nacionalismo é utilizado por muitos para mascarar ódios, irracionalidades e complexos de inferioridades. Estas pessoas são "violentas" e representam uma ameaça à nossa sociedade. Na impotência de mudarem as suas vidas, canalizam todas as suas frustrações para as minorias étnicas e para os imigrantes.

4. Sou 100% contra estas pessoas. Para mim representam um recuo a nível de humanidade e têm um pensamento retrogado.

5. Ora se retirarmos destes movimentos os 99,9 % (acredito que seja esta percentagem) dos indivíduos que são pura e simplesmente racistas e marginais, sobra apenas 0,01% de indivíduos que vêem esta corrente como é devido.

6. Para mim nacionalismo é defender algo por causa de uma nacionalidade. Logo à partida é um movimento que nasce pela exclusão.

7. Além disso, acho que o nacionalismo é um sentimento e nunca deve ser um suporte de movimentos políticos, pois é bastante redutor. Além disso, como sentimento, também é muitas vezes irracional, o que na sociedade de hoje é algo que não faz sentido ser transformado em movimento.

8. O nacionalismo é algo directamente ligado à identidade de um povo. A sua identidade não deve ser, nem forçada, nem estática. O movimento nacionalista tenta a cristalização dessa identidade o que só nos empobrece culturalmente e nos torna piores.

9. A ruptura que muitos "nacionalistas" apregoam contra o politicamente correcto não passa de uma desculpa para se poderem justificar quando têm afirmações simplesmente estúpidas.

10. O nacionalismo não é algo que se luta, a nossa identidade não depende de guardiões, é feita de escolhas. Os movimentos nacionalistas nada fazem a não ser nos limitar estas escolhas.

Dito isto, não digo que sou anti-português. Nem que não goste de Portugal ou de algumas tradições portuguesas. Não significa que, quando vou às compras não tente comprar o máximo de produtos nacionais. Não, sou o oposto, mas não compreendo como isto, possa ser razão para a existência de movimentos nacionalistas. E ter esta causa enquanto Partido Politico é o pior que pode acontecer. A politica é a decisão de como nos organizamos e o gostar de ser português, nunca deve ser imposto, nem ser um modelo de organização. Gosto de Portugal porque nasci e cresci aqui e aprendi a gostar de algo que se chama "identidade portuguesa". Gosto dos nossos defeitos e das nossas qualidades, mas nunca utilizo este sentimento para discriminar ou para rejeitar outras culturas. Porque na verdade, embora português prefiro-me considerar "cidadão do mundo".


7 comentários:

Pantera disse...

Bem caro Stran,mas a questão é esta.

Não confunda nacionalismo verdadeiro com nazismo por exemplo. Hitler por exemplo acabou com um país chamado Austria e anexou outros tantos, ou seja, esses países simplesmente deixaram de existir, para se criar uma grande Alemanha, um processo semalhante que os espanhóis tentaram ao longo de séculos fazer com Portugal. Por essa razão não se podem chamar aquilo nacionalismo, porque o objectivo era mesmo acabar com as outra nações, alias isso acontece agora com o processo de federalização da união europeia.

Mas relativamente à nossa nação, de facto muitos estão ligados ao tráfico de droga, extorsões, agressões fisicas, anti-semitismo primária e tantas coisas do género.Ser nacionalista é defender a nossa nação, história e povo, e não defender ideologias estranhas e muito menos "construir" novos países.

Se me permite vou fazer um post no meu blog sobre isto..nao leve a mal mas não me expressei muito bem aqui, vou faze-lo no meu blog

um abraço

Pantera disse...

Já fiz lá um post sobre os recentes acontecimentos.

Um forte abraço

Stran_ger disse...

Não por acaso não confundo, pelo menos é a minha opinião. No entanto devo admitir que não simpatizo com movimentos nacionalistas pois parecem um pouco artificiais. Vejo a identidade do país como vejo a minha identidade. Eu não tenho de fazer nenhuma campanha nem nenhum esforço para manter a minha identidade. Nem o que sou hoje é igual ao que era à 10 anos atrás. Mudei, mas a minha identidade preservou-se. Ou seja manteve o que é melhor (na minha opinião) e mudou o que estava mal. Como acho que daqui a 10 anos vou estar diferente.
Se é necessário um movimento para manter a identidade então significa que a mesma não existe ou é muito fraca.
Outra coisa que não gosto no nacionalismo é que muitas vezes se constrói pela exclusão de outras pessoas ou identidades. Voltando ao exemplo de mim próprio. Eu adoro conhecer e conviver com pessoas de culturas diferentes. Esse facto não me descaracteriza. Pelo contrário, torna-me melhor porque me permite evoluir com as diferentes visões que os outros têm da vida.
Muito honestamente é o que eu sinto quando leio afirmações como "Ser nacionalista é defender a nossa nação, história e povo, e não defender ideologias estranhas e muito menos "construir" novos países." Posso estar errado (aliás o convite foi no sentido de tentar entender algo, que por diversos motivos não conheço profundamente), mas dificilmente se consegue estar num movimento nacionalista e considerar que a integração de culturas diferentes à nossa um facto positivo.

Egidio Vaz disse...

Bom exercício intelectual. Um abraço Stran

Stran_ger disse...

Obrigado

Pantera disse...

Boas colega, posso te pedir o teu msn ou mail ? Para falar sobre isto do movimento nacionalista..

Um abraço

Stran_ger disse...

o mail não é nenhum segredo: stran_ger69@hotmail.com